Angola garante pagamento da dívida pública interna e externa

12 February 2018

O Ministério das Finanças de Angola reafirmou o compromisso de assegurar o serviço da dívida tanto interna como externa, “objectivo que consta da proposta do Orçamento Geral do Estado para 2018 e é suportado pelos actuais níveis de tesouraria do Estado”, de acordo com um comunicado oficial.

No comunicado em que anuncia a decisão da agência Moody’s de colocar sob vigilância a notação de risco soberano de Angola, o ministério esclarece que essa decisão resulta da deterioração da posição fiscal, incluindo o agravamento das necessidades brutas de financiamento face às expectativas que conduziram à notação do risco soberano para “B2” em Outubro de 2017, bem como da rápida depreciação cambial devido à introdução do novo regime cambial.

O Ministério das Finanças acrescenta no documento que a agência de notação de risco Moody´s acredita no anunciado esforço do plano de consolidação fiscal do governo de Angola e nos benefícios decorrentes da introdução do novo regime de câmbios flutuantes.

A dívida soberana de Angola situa-se em 12,2 biliões de kwanzas (58 126 milhões de dólares), 67% do Produto Interno Bruto (PIB), com a dívida externa a representar 38,06 mil milhões de dólares, de acordo com números do Ministério das Finanças.

O ministério emitiu um outro comunicado sobre o facto de a agência Standard and Poor´s (S&P) ter procedido sexta-feira a uma reavaliação da classificação de risco de Angola, mantendo-o em “B-/B”, com uma perspectiva de estabilidade.

Segundo os fundamentos para esta classificação, a S&P concentrou-se no aumento acentuado do montante da dívida pública de Angola em 2017, com a tendência de continuar em 2018, como resultado de défices fiscais consideráveis ​​e desvalorização da moeda.

(Macauhub)

MACAUHUB FRENCH