Grupo chinês recorre de decisão da Comissão de Valores Mobiliários do Brasil

23 February 2018

A State Grid Brazil Power Participações, subsidiária do grupo China State Grid, vai recorrer da decisão da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) do Brasil que considerou demasiado baixo o valor monetário oferecido para a aquisição dos interesses dos accionistas minoritários na CPFL Energias Renováveis, informou em comunicado a CPFL Energia.

O valor oferecido pela CPFL Energia, a maior empresa privada brasileira de produção e distribuição de energia eléctrica, ofereceu no âmbito da Oferta Pública de Aquisição 12,20 reais por cada acção, tendo a CVM sugerido aumentar esse valor para 16,69 reais.

Contas efectuadas pelo portal financeiro brasileiro Valor indicam que o eventual aumento do preço por acção significaria que o grupo chinês teria de pagar mais mil milhões de reais (cerca de 307,1 milhões de dólares) para concluir a operação.

Os accionistas minoritários da CPFL Energias Renováveis, como a Pátria Investimentos Ltda, Grupo BTG Pactual, Banco Alemão, DEG e Corporação Financeira Internacional, do grupo Banco Mundial, questionaram em Outubro passado o valor oferecido pelo China State Grid em Outubro passado, tendo nessa ocasião proposto a sua revisão em alta para 16,74 reais por acção.

O grupo China State Grid passou a controlar 94,76% do capital da CPFL Energia em Dezembro de 2017, após a compra em Oferta Pública de Aquisição de mais de 408 milhões de acções ordinárias ainda nas mãos de entidades terceiras.

O grupo chinês, que já controlava no Brasil uma rede de transmissão de energia eléctrica com cerca de 10 mil quilómetros, entrou no mercado brasileiro em 2010 tendo a sua subsidiária local ganho em Abril de 2016 um leilão para gerir duas novas linhas de transporte. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH