Timor-Leste e Austrália assinam terça-feira o acordo de delimitação de fronteiras marítimas

5 March 2018

Timor-Leste e a Austrália assinam terça-feira em Nova Iorque o acordo de delimitação de fronteiras marítimas, que coloca a linha de fronteira na posição defendida por Timor-Leste, ou seja, equidistante dos dois países, como Dili sempre reivindicou.

O documento, cujos contornos exactos ainda não são conhecidos, deixa de lado a questão da exploração dos recursos petrolíferos existentes no campo Greater Sunrise, que tem estado a ser negociado entre o governo de Timor-Leste e as empresas petrolíferas envolvidas no processo.

Em discussão estão três cenários possíveis, a de uma exploração flutuante – defendida pelas petrolíferas que têm a concessão do Greater Sunrise: Woodside, ConocoPhillips, Royal Dutch Shell e Osaka Gas – a ligação ao gasoduto que liga os poços existentes na zona a Darwin ou a ligação por gasoduto ao sul de Timor-Leste.

A decisão determinará a partilha de receitas do recurso, com Timor-Leste a receber 70% se o gasoduto vier para território timorense e 80% se for para Darwin, de acordo com fonte conhecedora das negociações, citada pela agência noticiosa Lusa.

O passo definitivo para o acordo a ser celebrado terça-feira foi dado no final de Agosto de 2017 em Copenhaga, quando delegações dois países acordaram os “elementos centrais” da delimitação de fronteiras marítimas entre os dois países e sobre o estatuto legal para o desenvolvimento do poço de gás de Greater Sunrise – com reservas estimadas de 5,1 biliões de pés cúbicos de gás. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH