Moeda de Angola vai continuar a depreciar-se, Economist

29 March 2018

A moeda de Angola, o kwanza, deverá continuar a depreciar-se face às principais divisas, casos do euro e do dólar, atendendo à diferença acentuada que se continua a registar entre o valor do câmbio nos leilões organizados pelo Banco Nacional de Angola e no mercado paralelo, de acordo com a Economist Intelligence Unit (EIU).

A EIU adianta no seu mais recente relatório sobre Angola que a desvalorização do kwanza, que já perdeu um quarto do seu valor face ao dólar desde o início do ano, terá como consequência imediata a manutenção de uma taxa de inflação elevada durante a primeira metade do período em análise (2018/2022) e manter-se a um nível de dois dígitos até 2021.

O crescimento da economia do país continuará a depender da evolução do preço do barril de petróleo, atendendo aos esforços diminutos no sentido de diversificar a economia, prevendo a EIU que o Produto Interno Bruto de Angola cresça a uma taxa média de 2,5% por ano até 2022, valor que compara com a taxa de 4,7% registada no período de 2011 a 2015.

Desagregando a previsão de crescimento por anos verifica-se que a economia de Angola deverá crescer apenas 1,7% este ano, para aumentar nos anos seguintes para valores compreendidos entre 2,4%, em 2019 e 3,0% em 2022.

O crescimento de 1,7% previsto para 2018 decorre do facto de a depreciação da moeda e consequente impacto sobre os preços deverem vir a ter uma influência negativa no consumo, tanto das famílias como das empresas e do Estado. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH