Banco de Moçambique quer ver receitas do turismo reflectidas nas Contas Nacionais

3 April 2018

O Banco de Moçambique pretende contribuir para que as autoridades tenham uma noção tão exacta quanto possível sobre as receitas do sector do turismo no país através da criação de mecanismos de coordenação institucional e aplicação efectiva das normas estabelecidas, disse o vice-governador Victor Gomes.

O matutino Notícias, de Maputo, escreveu que a facturação de serviços de turismo à margem do sistema bancário nacional é uma das práticas que dificultam a captação de informação sobre as receitas do sector do turismo em Moçambique, apesar de haver sinais positivos do seu contributo para a balança de pagamentos.

Victor Gomes, que falava em Maputo no lançamento do projecto-piloto de controlo eficaz do fluxo de receitas, disse que os dados dos últimos cinco anos mostram que o sector do turismo tem vindo a ganhar importância relativa nas estatísticas do sector externo.

A contribuição das receitas do turismo na balança de pagamento apresenta uma tendência crescente, tendo em 2017 atingido a cifra de 151 milhões de dólares, o que comparado com os dados de 2016 representa um aumento de 39,6%.

De acordo com Gomes, esses factores podem alterar a dinâmica dos fluxos financeiros entre o país e o estrangeiro, pelo que o Banco de Moçambique mantém o seu compromisso de imprimir a flexibilidade necessária para a criação, manutenção e actualização de normas e instrumentos de intervenção cada vez mais ajustados à realidade.

O ministro do pelouro, Silva Dunduro, disse que as receitas provenientes das actividades turísticas ainda não estão a ser captada integralmente de forma a serem reflectidas no Sistema de Contas Nacionais, facto que conduziu ao lançamento deste projecto-piloto que envolve os ministérios da Cultura e Turismo, Economia e Finanças, do Interior, o Banco de Moçambique e o Instituto Nacional de Estatística. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH