Ajuda aos bancos aumenta dívida pública de Portugal em 23,7 mil milhões de euros

4 April 2018

As intervenções públicas de apoio ao sistema financeiro português entre 2007 e 2017 tiveram um impacto de 23,7 mil milhões de euros na dívida pública, escreveu o português Jornal de Notícias citando dados divulgados pelo Banco de Portugal.

A maior parte deste montante é referente a injecções de capital, caso da Caixa Geral de Depósitos em 2017, do Banco Internacional do Funchal (Banif) em 2015, da capitalização do Novo Banco em 2014 (na sequência da resolução do Banco Espírito Santo) e até nas empresas públicas que ficaram com activos “tóxicos” do ex-BPN (nacionalizado em 2008).

As outras despesas referem-se a encargos como “outras transferências de capital” (onde se incluem 1800 milhões de euros em 2010), pagamento de juros ou a execução de garantias públicas, sendo que estão aí 450 milhões de euros referentes ao Banco Privado Português (entretanto liquidado).

O Banco de Portugal informou igualmente que as medidas governamentais de apoio ao sistema financeiro entre 2007 e 2017 tiveram um impacto acumulado de 9,1% do PIB no défice orçamental e de 12,3% do PIB na dívida pública.

O banco central disse ainda que o impacto dos apoios no défice de 2017 foi de cerca de 4,5 mil milhões de euros (2,4% do PIB), essencialmente por via da operação de capitalização da Caixa Geral de Depósitos.

O jornal Diário de Notícias tinha indicado anteriormente que a factura total dos contribuintes com a estabilização do sistema financeiro ascendia a 17,1 mil milhões de euros na última década, que ficou marcada pelos resgates a vários bancos — BPN, BES e Banif — e pela capitalização do banco público CGD que representou uma injecção de 3,9 mil milhões de euros.  (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH