Fundo de desenvolvimento Guangdong-Macau terá capital inicial de 20 mil milhões de yuans

10 April 2018

Os governos da província de Guangdong e de Macau concluíram já as negociações sobre a constituição do fundo de desenvolvimento para a cooperação Guangdong-Macau, que terá um capital inicial de 20 mil milhões de yuans, anunciou segunda-feira o secretário para a Economia e Finanças de Macau.

Leong Vai Tac, que falava na sessão temática sobre a Grande Baía Guangdong – Hong Kong – Macau, no âmbito do Fórum de Boao para a Ásia 2018, na província de Hainão, adiantou que o respectivo acordo será assinado o mais rapidamente possível.

O secretário para a Economia e Finanças considerou que a construção da Grande Baía, baseada no princípio “Um País, Dois Sistemas” e envolvendo três zonas aduaneiras, abre oportunidades de cooperação regional que até aqui nunca tinham sido aproveitadas, o que pressupõe o surgimento de novas ideias, mentalidades e concepções em prol do desenvolvimento.

Relativamente à participação de Macau na construção da Grande Baía, Lionel Leong expressou os seus pontos de vista, entre os quais que a Região Administrativa Especial de Macau deve valorizar as vantagens oferecidas pela comunidade de chineses ultramarinos, nomeadamente a ligação das elites de Macau às do interior da China, dos países de língua portuguesa, da União Europeia e da ASEAN, que pode ajudar a atrair investidores estrangeiros para a Grande Baía e a conquistar mercados em outros países e regiões.

Em Janeiro passado, o secretário para a Economia e Finanças anunciou que o governo de Macau estava a pensar investir parte da reserva financeira em projectos de infra-estruturas na província vizinha de Guangdong mas acrescentou a iniciativa estava ainda a ser analisada.

Leong Vai Tac, ao anunciar os resultados da Conferência de Cooperação Conjunta Guangdong-Macau, em que foram analisadas iniciativas de desenvolvimento nacional, particularmente “Uma Faixa, Uma Rota”, o 13.º Plano Quinquenal Nacional e a Grande Baía Guangdong-Hong Kong-Macau, adiantou que os aspectos mais concretos e os procedimentos estão por ultimar, “não havendo ainda um montante definido para esses investimentos.”

A Reserva Financeira de Macau situava-se no final de 2017 em 490 mil milhões de patacas (61,2 mil milhões de dólares), um aumento anual de 11,7%, sendo que a reserva básica representava 127,9 mil milhões de patacas e a reserva extraordinária 362,1 mil milhões de patacas. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH