Mina de grafite em Moçambique ajudará o desenvolvimento industrial

13 April 2018

A mina de grafite explorada pela empresa australiana Syrah Resources enquadra-se na visão estratégica do governo de Moçambique que visa a industrialização do país, disse quinta-feira em Balama, província de Cabo Delgado, o Presidente Filipe Nyusi.

O chefe de Estado disse no decurso de uma visita à mina que a entrada em funcionamento do empreendimento, que representa um investimento de 250 milhões de dólares, coloca Moçambique no mapa dos maiores produtores mundiais, à semelhança de países como a China e o Brasil, de acordo com o jornal Notícias, de Maputo.

Nyusi realçou que a mina entra em acção numa altura em que a economia nacional enfrenta desafios e reafirmou que o governo vai continuar a incentivar a construção de infra-estruturas de modo a reduzir custos operacionais, promover o desenvolvimento e melhorar a qualidade de vida dos moçambicanos.

O presidente executivo da Syrah Resources, Shaun Verner, disse que desde o início da exploração e processamento em Novembro de 2017, a mina já produziu mais de 160 mil toneladas de grafite, grande parte da qual foi já exportada através do porto de Nacala, na província de Nampula.

A mina, considerada a maior do mundo, com uma reserva de 114 milhões de toneladas, tem um tempo de vida de 50 anos.

A deslocação à mina de Balama enquadra-se na visita de quatro dias que o Presidente da República efectua à província de Cabo Delgado. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH