Venda da Azores Airlines enquadra-se na estratégia do governo de Cabo Verde

18 April 2018

A eventual entrada do grupo Icelandair no capital social da Azores Airlines, a companhia aérea do arquipélago português dos Açores, complementa e valoriza o possível negócio entre aquele grupo e a companhia Transportes Aéreos de Cabo Verde (TACV), disse terça-feira na Praia o primeiro-ministro cabo-verdiano.

O grupo SATA, detido por um único accionista, a Região Autónoma dos Açores, anunciou terça-feira que a Loftleiðir-Icelandic, empresa do grupo Icelandair, ficou pré-qualificada como único potencial comprador na primeira fase do processo de negociação particular relativo à alienação de 49% do capital social da Azores Airlines.

Ulisses Correia e Silva disse ainda que o negócio em nada afecta a estratégia de negociação com o grupo islandês, que está a gerir a TACV e a proceder à estruturação da plataforma aérea da ilha do Sal, tendo acrescentado que se complementam muito bem, “atendendo a que fazemos parte da Macaronésia e queremos que entre os arquipélagos das Canárias, dos Açores, da Madeira e de Cabo Verde haja maior complementaridade de mercados.”

O primeiro-ministro de Cabo Verde, citado pela agência noticiosa Inforpress, disse ainda que continuam a decorrer as negociações com o grupo Icelandair para a eventual compra de uma participação de 51% no capital social da Transportes Aéreos de Cabo Verde.

No início de Dezembro de 2017, o ministro das Finanças Olavo Correia disse que o processo de privatização do negócio internacional da Transportes Aéreos de Cabo Verde (TACV) deveria ficar concluído até ao final do primeiro trimestre de 2018. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH