Moody’s desce notação de risco de Angola, mas melhora perspectiva de evolução

30 April 2018

A Moody’s reviu em baixa a notação de risco da dívida soberana de Angola, de “B2” para “B3”, mas alterou a perspectiva de evolução de “Negativa” para “Estável”, concluindo o processo de revisão em baixa iniciado em Fevereiro passado, informou a agência em comunicado divulgado sexta-feira.

Tanto “B2” como “B3” são das mais baixas notações de risco de longo prazo atribuídas pela Moody´s, que define as dívidas associadas como “altamente especulativas” sem qualidade para investimento, tendo a revisão em baixa derivado do aumento da dívida pública, embora parcialmente coberta pelo aumento dos preços do barril de petróleo.

A perspectiva de evolução subiu para “Estável” surge uma semana depois de Angola ter assinado com o Fundo Monetário Internacional um Instrumento de Coordenação de Políticas, sem incidência financeira e de a agência Standard & Poor’s ter melhorado a notação de risco do país.

A Moody´s adianta, no entanto, que os riscos permanecem elevados, com as necessidades de financiamento do governo a permanecerem numa média de 20% do Produto Interno Bruto em 2018/2019, embora algumas medidas previstas, se executadas com sucesso, possam causar o seu declínio futuro.

Na semana passada, a agência Fitch Ratings manteve a notação de risco da dívida externa de Angola de longo prazo em “B”, sem qualidade para investimento, mas reviu em alta de “Negativa” para “Estável” a perspectiva de evolução económica devido ao aumento dos preços do petróleo e à adopção de um conjunto de reformas. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH