Governo de Angola aprova constituição de reserva alimentar estratégica

8 May 2018

Angola poderá criar até ao próximo ano uma reserva alimentar estratégica, informou segunda-feira o ministro do Comércio, Jofre Van-Dúnem Júnior, ao anunciar a aprovação pela Comissão Económica do Conselho de Ministros da iniciativa que visa abastecer o mercado com produtos do cabaz básico em períodos de emergência ou de ruptura de stocks.

A reserva alimentar permitirá ao governo, em caso de crise, ruptura de stocks ou calamidades naturais, intervir no mercado para manter o equilíbrio dos preços e do fornecimento de produtos, com segurança alimentar à população durante um certo período de tempo.

Jofre Van-Dúnem Júnior disse ainda que o arroz, farinha de milho e de trigo e o feijão foram os produtos escolhidos para constituir a reserva alimentar, sendo que só o primeiro dependerá de importações.

O ministro adiantou que a criação da reserva nacional poderá incentivar a produção nacional e especificou serem necessárias 20 mil toneladas de arroz, dez mil de farinha de milho, 20 mil de farinha de trigo e 15 mil toneladas de feijão para garantir a reserva alimentar nacional.

Van-Dúnem Júnior anunciou ainda que a adesão final de Angola à zona de livre comércio da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC) deve ocorrer em 2019.

“O país aderiu formalmente à zona de comércio livre em Fevereiro de 2003, mas o seu roteiro só agora foi aprovado em Conselho de Ministros”, disse o ministro, que acrescentou ir o mesmo ser apresentado ao secretariado da SADC em Junho próximo. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH