Grupo estatal China Three Gorges lança OPA sobre grupos EDP – Energias de Portugal e EDP Renováveis

As Ofertas Públicas de Aquisição (OPA) lançadas pelo grupo estatal China Three Gorges para obter o controlo accionista dos grupos EDP – Energias de Portugal e EDP Renováveis vão enfrentar “uma maratona de autorizações dos reguladores, entraves quase certos em Bruxelas, uma gestão com vontade própria e um preço oferecido já qualificado de baixo, escreveu o jornal português Observador.

As OPA, caso sejam compradas todas as acções abrangidas, vão exigir um esforço financeiro de mais de 10 mil milhões de euros, algo que acontece seis anos após a China Three Gorges ter vencido o concurso público para a privatização da parcela do capital social do grupo EDP ainda detida pelo Estado português, de 21,5%.

O jornal escreveu que o baixo preço oferecido, de 3,26 euros por acção, apenas 4,8% a mais do que a cotação de sexta-feira na praça de Lisboa, pode fazer com que apareçam ofertas concorrentes, nomeadamente dos grandes grupos energéticos da Europa, bem como de investidores institucionais, caso de fundos de investimento.

A lista de autorizações que é necessário obter para levar para a frente a oferta sobre a EDP está descrita no anúncio preliminar da operação divulgado sexta-feira pela China Three Gorges, sendo que uma fatia muito substancial destas aprovações dos reguladores, em particular nos Estados Unidos, resulta das operações da EDP Renováveis.

A primeira passa pelo registo prévio das duas OPA junto da Comissão de Mercado de Valores Mobiliários — e sabe-se já que o supervisor da bolsa pediu esclarecimentos adicionais às condições já conhecidas.

A operação terá de ser autorizada pelas autoridades da concorrência, sendo que o grupo China Three Gorges admite que o processo seja analisado pela Autoridade da Concorrência portuguesa, mas também pela Direcção-Geral da Concorrência da Comissão Europeia, caso a concentração proposta tenha dimensões comunitárias, considerando os activos que o grupo EDP tem em vários países da União Europeia.

O preço oferecido por cada acção da EDP Renováveis, de 7,33 euros, é “ainda menos atraente”, uma vez que compara com 7,854 euros no fecho de sexta-feira, mas trata-se de uma OPA obrigatória e que teria sempre que ser lançada, num cenário de mudança de controlo acionista da EDP, a casa-mãe que controla mais de 80% do capital da Renováveis. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH