Angola gasta 4000 milhões de dólares em combustíveis líquidos em 12 meses

28 May 2018

Angola vai despender mais de 4000 milhões de dólares num período de 12 meses na importação de combustíveis refinados, de acordo com o despacho presidencial n.º 61/18, de 24 de Maio, em que o Presidente João Lourenço autoriza a abertura do procedimento de contratação simplificada para o fornecimento de derivados do petróleo, nomeadamente gasolina, gasóleo e gasóleo de marinha à Sonangol Logística.

O contracto é referente ao período de 1 de Abril de 2018 a 31 de Março de 2019 e “autoriza a realização de despesa inerente aos contractos a celebrar” no valor global de 4,03 milhões de dólares, de acordo com o despacho citado pela agência noticiosa Lusa.

A Sociedade Nacional de Combustíveis de Angola (Sonangol) anunciou a 16 de Março a contratação de duas empresas internacionais de comércio e refinação para fornecimento de combustíveis, na sequência de um concurso público com convites dirigidos a 20 das maiores empresas mundiais do sector, das quais 11 apresentaram propostas.

Após um processo de negociação, foram contratadas as empresas Glencore Energy UK, para fornecimento de gasóleo e de gasóleo de marinha e da Totsa Total Oil Trading, para fornecer gasolina.

Em Março passado, a Sonangol anunciou ter seleccionado as sete melhores propostas para a construção das refinarias do Lobito e de Cabinda de entre as 30 recebidas.

A Refinaria de Luanda, a única existente no país e inaugurada em Maio de 1958, tem uma capacidade instalada de 65 mil barris por dia e produz apenas 20% dos combustíveis líquidos consumidos no país. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH