FMI aprova avaliação da Guiné-Bissau e prolonga ajuda por mais um ano

4 June 2018

A actividade económica da Guiné-Bissau manteve-se robusta e o Produto Interno Bruto deverá ter crescido 5,9% em 2017, informou o Fundo Monetário Internacional (FMI), que acrescentou ter sido aprovado por mais um ano, até Julho de 2019, o período de intervenção ao abrigo da Facilidade de Crédito Alargada (ECF, na sigla em inglês).

Em comunicado divulgado sexta-feira em Washington em que se anuncia a conclusão da quinta avaliação ao programa de apoio à Guiné-Bissau, a administração do FMI informou ter esse facto permitido libertar 4,3 milhões de dólares, elevando para 24,2 milhões de dólares o apoio concedido ao país.

A aprovação do alargamento do período de intervenção ao abrigo da Facilidade de Crédito Alargada “vai permitir garantir a estabilidade macro-económica durante o próximo período eleitoral, apoiar reformas centradas no aumento da receita fiscal e na resolução de problemas a nível de infra-estruturas essenciais e ajudar a financiar as necessidades em sede de balança de pagamentos.”

Em 2017, o país registou um crescimento económico de 5,9%, com uma taxa de inflação de 1,1%, um défice externo de 0,5% do Produto Interno Bruto (PIB) e um défice orçamental de 1,5% do PIB, “sendo a previsão para este ano francamente positiva, com uma taxa de crescimento prevista de 5,3%, se bem que esteja sujeita a riscos derivados de uma situação política frágil e de termos comerciais adversos.” (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH