Moçambique tem de reduzir dívida pública, afirma representante do FMI

5 June 2018

O montante de dívida pública de Moçambique é muito superior à média dos membros da Comunidade dos Países da África Austral (SADC, na sigla em inglês), sendo fundamental fazer com que regresse a valores que sejam sustentáveis, disse segunda-feira em Maputo o representante do Fundo Monetário Internacional (FMI) em Moçambique.

Ao apresentar o mais recente relatório do FMI sobre as perspectivas económicas para a África a sul do Saara, Ari Aisen recordou que a dívida pública de Moçambique atingiu 110,1 % do Produto Interno Bruto (PIB) em 2018, estimando-se que continue a subir até 130,3% do PIB em 2022.

O representante do FMI disse ainda que o facto de o governo de Moçambique estar a negociar com os credores uma restruturação, nomeadamente das dívidas de 2000 milhões de dólares contraídas por empresas públicas, é positivo, mas acrescentou ser necessário garantir que o processo apresente resultados rapidamente.

O governo moçambicano propôs numa reunião realizada em Março em Londres um perdão de 50% dos juros em atraso, ou seja, 124,5 milhões de 249 milhões de dólares, e três opções de reestruturação que alargam os prazos de pagamento, tanto dos juros como da amortização do capital. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH