Chinesa Goldwind assina contrato para reparar turbinas eólicas no Brasil

2 July 2018

A empresa chinesa Goldwind assinou um contrato de mil milhões de reais (270 milhões de dólares) com a brasileira Energimp para reparar ou substituir 242 turbinas eólicas, na sua maior parte paralisadas devido à falta de manutenção desde a falência da empresa argentina Impsa, em 2015, informou a imprensa brasileira.

As turbinas estão instaladas em dois locais no Nordeste do Brasil e dois no sul do país, estando as poucas ainda em funcionamento a ser operadas pela empresa de energias renováveis Energimp, actualmente controlada por antigos credores da Impsa, caso da Caixa Económica Federal e do Fundo de Investimento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço – FI-FGTS.

Rafael Guerra, gerente de desenvolvimento de negócios do escritório da Goldwind no Brasil, em São Paulo, disse que as turbinas serão enviadas para a China, sendo que numa primeira fase a empresa compromete-se a reparar ou substituir 181 unidades no prazo de um ano, indo quando todas reparadas ser adicionados à rede nacional 363 megwatts de energia eléctrica.

A imprensa brasileira escreveu que o acordo, que também envolve operações de longo prazo e contractos de manutenção, só começou a ser possível no início de 2016, quando a Goldwind ganhou uma batalha judicial pelo direito de comercializar na América Latina a tecnologia Vensys usada nas turbinas Goldwind e Impsa, na sequência do processo de falência contra a empresa argentina, que envolveu milhares de milhões de reais.

No Chile e em outros países, como o Equador, a Goldwind é um fornecedor simples de turbinas, mas na Argentina comprou recentemente 300MW em activos de energia eólica que construirá nos próximos anos e no Brasil, onde tem a sua sede na América do Sul, abriu centros de serviços como parte do contrato com a Energimp. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH