Obras paralisadas em Angola por falta de verbas vão ser retomadas e concluídas

9 July 2018

O Presidente João Lourenço vai assinar um conjunto de despachos com carácter de urgência para permitir a conclusão, a curto prazo, das obras públicas que estão paradas por falta de verbas, anunciou sexta-feira no Luena, província do Moxico, o ministro das Finanças de Angola.

O ministro Archer Mangueira, que durante a sua estada no Luena avaliou o estado das obras paralisadas localmente por falta de financiamento e prometeu que algumas vão ser seleccionadas para conclusão, disse que as empreitadas a serem ajudicadas incidem nos sectores da educação, saúde, saneamento básico, construção de estradas, estancamento de ravinas, energia e águas e vão vitalizar empresas e as economias das províncias abarcadas pelas obras.

Nas últimas duas semanas, o ministro dos Finanças realizou deslocações semelhantes às províncias de Cabinda e Huíla, onde também anunciou a inclusão de importantes obras públicas nos projectos para conclusão a curto prazo.

Os projectos beneficiados na província de Cabinda pela decisão são a construção do Aeroporto Maria Mambo Café, o quebra-mar, o porto de águas profundas do Caio, o centro político administrativo de Cabinda e o “campus” universitário.

No Lubango, onde esteve na terça-feira, Archer Mangueira apontou a decisão da conclusão das obras de uma maternidade e uma pediatria na zona da Eywa, nos arredores do Lubango, paralisadas desde 2014 e com custos globais projectados de dois milhões de kwanzas.

Em Saurimo, capital da província da Lunda Sul, onde permaneceu algumas horas, o ministro anunciou que as obras paralisadas são retomadas este mês e as prioridades recaem sobre a conclusão de escolas. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH