Angola compra energia eléctrica à República Democrática do Congo

19 July 2018

A cidade de Cabinda e arredores vão receber energia eléctrica fornecida pelo aproveitamento hidroeléctrico de Inga, perto da cidade de Matadi, na República Democrática do Congo, ao abrigo do acordo de cooperação bilateral no domínio energético, resultado do encontro de Fevereiro último em Kinshasa, escreveu a agência noticiosa Angop.

O acordo foi assinado pelos ministros da Energia e Recursos Hídricos da RD do Congo, Igete Ifoto e da Energia e Águas de Angola, João Baptista Borges, que na segunda-feira se reuniu com o governador de Cabinda, Eugénio Laborinho, para preparar a recepção ao seu homólogo congolês.

Os governos de Angola e da RD Congo, no quadro da cooperação energética, têm vindo a realizar desde 2006 encontros para solucionar a situação energética naquela província angolana, com a construção de uma linha de transporte de energia a partir da barragem hidroeléctrica de Inga.

A construção da linha de transporte, do Inga, passando pela vila portuária do Muanda, tem um custo estimado em 20 milhões de dólares.

O aproveitamento hidroeléctrico de Inga dispõe presentemente de duas centrais com uma capacidade de produção de 1800 megawatts cada, tendo a Inga I entrado em funcionamento em 1972 e a Inga II em 1982.

A província de Cabinda conta actualmente com três turbinas com sistema dual (gás e gasóleo), que fornecem 95 megawatts de energia eléctrica a toda região, quantidade insuficiente para a procura local.

Cabinda é uma província costeira de Angola que se encontra separada do resto do país por uma faixa de terreno pertencente à República Democrática do Congo, que faz fronteira a Sul e a Leste, sendo que a Norte a fronteira é com a República do Congo (Brazzaville). (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH