Angola recebe XIII Cimeira da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa

Angola é o país anfitrião da XIII Cimeira de Chefes de Estado e de Governo da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), a ter lugar em 2020, foi decidido no encontro do Sal, ilha de Cabo Verde, que elegeu o embaixador português Francisco Ribeiro Teles como novo secretário executivo da instituição, segundo a imprensa local.

A votação em Angola para receber a próxima Cimeira da CPLP mereceu a unanimidade dos Estados-membros.

O novo secretário executivo, que inicia funções em Janeiro de 2019 para o biénio 2019-2020, salientou no discurso de aceitação do cargo o “compromisso” de trabalhar para afirmar os valores e objectivos da CPLP, enquanto plataforma de cooperação “solidária e horizontal e de vocação global”.

No segundo dia da XII Conferência de Chefes de Estado e de Governo da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), na ilha do Sal, foi aprovado também a concessão da categoria de observadores associados da CPLP aos países como Chile, Sérvia, Argentina, Itália, Andorra, França e Luxemburgo e a organização dos Estados Ibero-Americanos para a Educação, Ciência e Cultura, na categoria de assessor associado da CPLP.

A Cimeira foi ainda palco para a assinatura de um pacote de apoio financeiro para os Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP), “iniciativa singular” do Banco Africano do Desenvolvimento, rubricado pelo presidente do banco, sediado em Abidjan e pela secretária executiva da CPLP, Maria do Carmo Silveira.

A CPLP foi criada a 17 de Julho de 1996, em Lisboa, por sete Estados: Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal e São Tomé e Príncipe. Em 2002, com a independência, Timor-Leste tornou-se o oitavo Estado-membro.

A Guiné-Equatorial foi admitida como membro da organização em 2014, durante a Cimeira realizada na capital de Timor-Leste, Dili. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH