Governo de Timor-Leste quer economia a crescer a mais de 7,0% nos próximos cinco anos

25 July 2018

O governo de Timor-Leste pretende que a economia do país cresça a uma taxa média superior a 7,0% e que a taxa de desemprego seja inferior a 10% no decurso dos próximos cinco anos, segundo o programa de governo, que será discutido esta quarta-feira no parlamento.

O programa de governo, citado pela agência noticiosa Lusa, estabelece como uma das prioridades a promoção de emprego, nomeadamente de jovens, definindo como objectivo a criação, no mínimo, de 60 mil novos empregos, manter a taxa de desemprego “num só dígito” e reduzir a taxa de pobreza mínima para 10%, até 2023.

A população timorense é de 1,2 milhões de habitantes, com um crescimento anual de 2,3%, sendo que mais de metade dos habitantes (51,2%) tem menos de 20 anos, o que significa que, “nos próximos cinco a dez anos, entrarão no mercado de trabalho muitas centenas de milhares de jovens.”

O documento elaborado pelo governo realça a importância do sector privado como “um dos principais motores da economia nacional, garantindo a criação de emprego e, como tal, constituindo um dos maiores factores de combate à pobreza.”

No entanto, constata que “o desenvolvimento do sector privado em Timor-Leste não progride, porque, em larga medida, se limita a projectos do Estado e não tem acesso ao crédito e financiamento a um prazo longo e com juros acessíveis.”

Por isso, uma das medidas propostas é a criação do Banco de Desenvolvimento de Timor-Leste (BDTL), detido pelo Estado e com a contribuição de capital timorense, tendo em vista “facilitar o aceso ao financiamento a longo prazo, com taxas de juros acessíveis.”

Está ainda prevista a criação da Investimentos de Timor-Leste (TLIC), que funcionará como “companhia estatal para o investimento”, com a função de realizar “investimentos comerciais que permitam um grande retorno financeiro ou que permitam efeitos multiplicadores para o desenvolvimento sócio-económico”, sendo a prioridade o “investimento interno no país.” (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH