FMI analisa em Angola aplicação do Instrumento de Coordenação de Políticas

2 August 2018

Uma missão do Fundo Monetário Internacional (FMI) iniciou terça-feira em Luanda conversações para a aplicação do Instrumento de Coordenação de Políticas (PCI), informou o Ministério das Finanças em comunicado divulgado quarta-feira.

O comunicado adianta que o PCI visa permitir ao governo angolano alcançar os objectivos de estabilização macro-económica traçados no Plano de Desenvolvimento Nacional 2018/2022.

O PCI está disponível para todos os membros do FMI que não precisam dos recursos financeiros do Fundo, sendo aplicado em países que pretendem ou aplicar reformas ou desbloquear e coordenar o financiamento de outros credores oficiais ou investidores privados.

O coordenador da missão do FMI, Mário de Zamarocy, destacou que a introdução do Imposto sobre o Valor Acrescentado (IVA), liberalização das taxas de câmbio, subsídios aos combustíveis, Orçamento Geral do Estado para 2019, atrasados externos e internos, lista de espera de reservas cambiais ou de divisas são alguns dos temas da agenda das discussões dos encontros.

O PCI possibilita um diálogo próximo entre o FMI e um país membro, acompanhamento regular dos desenvolvimentos e políticas económicas e o endosso dessas políticas para prevenir crises e construir amortecedores contra choques externos e melhorar a estabilidade macro-económica.

Além do Ministério das Finanças e para efeitos de realização da referida missão, que decorre até 14 de Agosto, a delegação do FMI vai manter encontros com diversas entidades públicas e privadas. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH