Vale Moçambique encerra 1.º semestre com passivo de 7,9 mil milhões de dólares

15 August 2018

A Vale Moçambique encerrou o primeiro semestre de 2018 com uma dívida de 7,9 mil milhões de dólares, número que representa um aumento de 100 milhões de dólares relativamente ao montante contabilizado no final do primeiro trimestre, informou terça-feira em Maputo a direcção da empresa.

O director executivo da subsidiária moçambicana do grupo brasileiro Vale, Marcelo Tertuliano, informou que o resultado líquido da empresa no segundo trimestre continuou negativo com menos 193 milhões de dólares, superior ao resultado igualmente negativo de menos 139 milhões registado no primeiro trimestre.

Chuvas, custos de operações elevados e apreciação da divisa moçambicana, o metical, figuram entre as principais causas que terão influenciado negativamente o desempenho da empresa no decorrer do segundo trimestre, segundo a imprensa moçambicana.

Marcelo Tertuliano destacou, no entanto, os aumentos de produção, receitas e pagamentos de “royalties” ao Estado moçambicano, com a produção de carvão, por exemplo, a ter crescido de 2,9 milhões de toneladas no segundo trimestre contra 2,4 milhões de toneladas no trimestre anterior.

As receitas provenientes das vendas de carvão situaram-se em 354 milhões de dólares, mais 17 milhões de dólares do que nos primeiros três meses do ano e a empresa pagou 6,0 milhões de dólares em “royalties”, contra 5,1 milhões de Janeiro a Março.

O presidente do conselho de administração da Vale Moçambique, Márcio Godoy, salientou que, não obstante os resultados negativos, a empresa continuará a fazer grandes investimentos nos seus activos em Moatize, província de Tete, bem como no Corredor Logístico de Nacala. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH