Câmara de Comércio Angola-China defende relações directas entre empresários

22 August 2018

O presidente da Câmara de Comércio Angola-China (CAC), Arnaldo Calado, defendeu em Luanda, relações directas com as associações empresariais privadas chinesas com vista a um maior desenvolvimento de Angola.

Arnaldo Calado disse ao Jornal de Angola ser fundamental que o governo aposte na cooperação empresarial entre privados, na medida em que a maior parte dos empresários chineses radicados em Angola são de empresas estatais.

“Os empresários deviam começar a pensar também em cooperar com as associações empresariais chinesas privadas na China, que podem dar um impulso ao país, como têm dado a vários países africanos”, disse o presidente da CAC.

Arnaldo Calado indicou que os governos têm formas de negociação diferentes das dos empresários.

O presidente da CAC defendeu uma maior cooperação entre as 32 províncias e regiões autónomas da China e as 18 de Angola.

“As duas entidades provinciais podem negociar as formas de pagamento e, caso se consiga confiança, pode fazê-lo a crédito, o que serviria para galvanizar o desenvolvimento das províncias”, disse.

Quando a CAC foi criada , em Março de 2017, o conselheiro chinês Francisco Chen assegurou que empresários chineses querem investir na agricultura, indústria, imobiliário e em outras áreas em Angola. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH