Governo de Angola limita exploração de madeira em toro

23 August 2018

A quantidade máxima de carvão vegetal licenciada para a Campanha Florestal de Angola 2018 será de 34 250 toneladas na floresta natural e 7500 toneladas na floresta plantada, segundo revela um despacho da agência Lusa publicado pela imprensa angolana.

A exploração de madeira em toro, autorizada para a Campanha Florestal de Angola 2018 ficará limitada a 259 853,35 metros cúbicos na floresta natural e a 48 500 metros cúbicos na floresta plantada, totalizando 308 353,35 metros cúbicos, segundo noticia da agência Lusa.

A campanha teve início no dia 14 de Julho e serão licenciados 200 madeireiros para a exploração dos recursos vegetais.

Um decreto do Ministério da Agricultura e Florestas, com data de Agosto, concede as maiores quotas de exploração de madeira em toro às províncias de Uíge (mais de 60 mil metros cúbicos), Cabinda (51 820 metros cúbicos) e Bengo (28 mil metros cúbicos), que acumulam mais de metade da quantidade permitida.

Segundo a agência de notícias Lusa em Fevereiro passado, após o final da campanha florestal de 2017, várias denúncias indicaram o transporte de toros entre províncias, proibido por lei.

Segundo o secretário de Estado do Ministério do Comércio angolano, Amadeu Nunes, citado pela agência Lusa, a China lidera a lista dos países de destino da madeira (107 mil toneladas), seguida do Vietname (35 mil toneladas) e de Portugal (26 mil toneladas).

A lei de exploração florestal estabelece que apenas pode ser detentor de uma licença para o efeito, o cidadão nacional ou empresas de direito angolano, sendo proibido o seu trespasse. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH