Angola LNG produz abaixo da capacidade instalada

10 September 2018

A unidade de processamento da empresa Angola LNG está a produzir abaixo da capacidade instalada de 5,2 milhões de toneladas de gás natural liquefeito por ano, disse o ministro dos Recursos Minerais e Petróleos na passada semana na cidade de Soyo.

Diamantino Azevedo, que falava quinta-feira no final de uma visita de trabalho de algumas horas às unidades afectas ao seu sector, justificou a quebra na produção à reduzida quantidade de gás natural que chega à fábrica proveniente das plataformas que exploram petróleo na região.

O ministro, citado pela agência noticiosa Angop, disse serem necessários investimentos adicionais na abertura de mais poços de petróleo na região, tendo em vista aumentar o gás natural que é canalizado para aquela unidade de processamento “para que se consiga atingir a capacidade de produção instalada.”

“Este é um desafio que a Angola LNG e o país têm de assumir, para que se atinja a capacidade e se mantenha a estabilidade do projecto durante um longo período de tempo”, referiu, tendo destacado o interesse manifestado pelos responsáveis da empresa em reduzir os custos de produção para a melhoria da eficiência.

A Angola LNG é um projecto integrado de aproveitamento de gás natural, dispondo de uma fábrica de processamento, um terminal marítimo e instalações de carregamento, bem como a possibilidade de proceder ao desenvolvimento de gás não associado.

Os accionistas da Angola LNG Limited são a Sociedade Nacional de Combustíveis de Angola (Sonangol), com 22,8%, o grupo norte-americano Chevron (36,4%) e os grupos britânico BP, italiano ENI e francês Total, com 13,6% cada. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH