Hidroeléctrica de Cahora Bassa de Moçambique investe 500 milhões de euros em 10 anos

18 September 2018

A Hidroeléctrica de Cahora Bassa (HCB) tem em marcha um plano de investimentos a 10 anos no montante de 500 milhões de euros, Capex Vital, para recuperar e modernizar o sistema electro-produtor do empreendimento, disse o presidente da empresa.

Pedro Couto, em entrevista à edição da Moçambique da revista Exame, disse que o Capex Vital será financiado uma parte através de recursos próprios e a outra parte com recurso ao crédito bancário, tanto nacional como internacional.

O financiamento será facilitado pelo facto de a empresa ter uma história de resultados sólida, uma posição financeira robusta e contratos de venda de energia de longo prazo, que dão estabilidade e confiança aos investidores tanto nacionais como internacionais, disse ainda o presidente.

O programa de investimentos visa proceder a uma renovação de partes da infra-estrutura, melhorando a eficiência da capacidade instalada para assegurar a operacionalidade e sustentabilidade da cadeia de produção, disse.

“Com estes investimentos, a HCB irá aumentar o grau de fiabilidade da produção e transporte de energia, garantindo que os clientes recebem energia de qualidade”, adiantou Pedro Couto.

A HCB produz energia para dois mercados regionais — a África do Sul, o seu principal cliente, e o Zimbabwe, falando-se que o Maláui poderá vir a ser o próximo destino da electricidade gerada na barragem.

A empresa tem em execução dois tipos de contratos – de potência firme, de longo prazo, com a Electricity Supply Commission of South Africa (Eskom) e a Electricidade de Moçambique (EDM) e de curto prazo com a Zimbabwe Electricity Supply Authority (ZESA), bem como contratos de venda de energia consoante a disponibilidade de produção adicional.

A produção de Cahora Bassa em 2017 ressentiu-se da seca que atingiu a bacia do rio Zambeze, para se situar em 13,77 milhões de megawatts hora, uma quebra de 11,5% relativamente a 2016, tendo as vendas totais de bens e serviços atingido 15 574,9 milhões de meticais (253,5 milhões de dólares), um acréscimo homólogo de 3,5%.

A Hidroeléctrica de Cahora Bassa vai estar cotada na Bolsa de Valores de Moçambique, através de uma Oferta Pública de Venda das acções representativas de 7,5% do seu capital social, conforme anúncio efectuado em 27 de Novembro de 2017 pelo Presidente de Moçambique, Filipe Nyusi.

No ano transacto, a empresa entregou aos seus accionistas – Estado moçambicano com 85%, Redes Energéticas Nacionais, de Portugal, com 7,5% e a própria HCB, com os restantes 7,5%, dividendos no valor de 1180,7 milhões de meticais, o equivalente a 19,6 milhões de dólares.

Cahora Bassa é uma das grandes fontes de receita do Estado moçambicano, que recebeu em 2017 entre impostos, taxas e dividendos cerca de 130 milhões de dólares. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH