Governo de Angola analisa em breve privatização de empresas públicas

4 October 2018

A privatização das empresas públicas de Angola vai ser analisada em breve pelo governo, disse quarta-feira em Luanda a secretária de Estado para Finanças e Tesouro, Vera Daves, na sessão de abertura da I Feira do Investidor.

A secretária de Estado, que não identificou as empresas a serem privatizadas, disse no entanto que a venda dessas empresas a entidades privadas vai permitir que venham a ser “mais eficientes, rentáveis e geradoras de mais postos de trabalho”, segundo a agência noticiosa Angop.

O Governo de Angola já anunciou pretender privatizar mais de 74 empresas a médio prazo, a maioria das quais opera no sector industrial.

A legislação sobre privatizações foi introduzida em 1994, com o objectivo de aumentar a eficiência, produtividade e competitividade da indústria angolana.

As fábricas de cerveja Cuca e Ngola, a empresa de café Liangol, a transportadora Manauto ou a fábrica de vidro Vidrul são algumas das empresas históricas que foram privatizadas.

Entre 2001 e 2005, o Governo angolano chegou a identificar 102 empresas para privatização total ou parcial, processo que não chegou a ser concluído.

O Presidente da República, João Lourenço, criou, por despacho de 20 de Fevereiro de 2018, uma comissão de preparação e execução do processo de privatização em bolsa das empresas públicas de referência, coordenada pelo ministro de Estado e do Desenvolvimento Económico e Social, Manuel Nunes Júnior.

A primeira Feira do Investidor, numa promoção da Comissão de Mercados de Capitais, tem a duração de três dias e conta com a participação de nove instituições bancárias que expõem os seus produtos e serviços. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH