Produção de energia em Angola maioritariamente de centrais hídricas

16 October 2018

O sector eléctrico de Angola está a poupar, desde 2017, um total de 669 mil litros de gasóleo/dia, com a entrada em operação de novas centrais hídricas, revelou o Presidente de Angola, João Lourenço no seu discurso em Luanda sobre o Estado da Nação.

“Angola tem actualmente, uma capacidade instalada de quatro mil e 409 Megawatts (MW)” disse.

Desde 2017, a produção global em Angola de energia passou, pela primeira vez, a ser predominantemente hídrica, com 78 por cento.”Isso resulta dos investimentos empregues na construção da Barragem de Laúca e na Central de Cambambe.” disse João Lourenço.

A entrada em funcionamento de novas centrais hídricas permitiu o reforço da capacidade no fornecimento de energia em províncias como Luanda, Huambo e Namibe.

Com os investimentos em curso o governo prevê também melhorar o fornecimento de energia nas províncias do Moxico, da Lunda Norte e Lunda Sul.

Em relação ao sub-sector das águas, o Chefe de Estado assinalou que há esforços para redinamização dos projectos de construção de rede de água e para diminuir o défice existente no abastecimento em Luanda e nas cidades do interior.

O presidente João Lourenço disse também que  a legislação recentemente aprovada vai contribuir para a atracção de mais investimentos no sector petrolífero e travar o declínio verificado na produção de petróleo, com destaque para a Lei da Indústria de Exploração e Produção do Gás não Associado.

O Chefe de Estado disse ainda que se iniciou-se o processo de implementação da Agência Nacional de Petróleo e Gás, que irá assumir a função de concessionária nacional de petróleo e gás, em substituição da Sonangol que se concentrará apenas na pesquisa e produção de petróleo.

“Em breve, iniciar-se-á o processo de privatização de grande parte das empresas não nucleares da Sonangol, quer sejam subsidiárias, quer participadas, para que a companhia tenha como foco as suas actividades essenciais.” disse.

Com o objectivo de desenvolver a refinação do crude  João Lourenço lembrou que foram lançados concursos públicos para construção de uma grande refinaria no Lobito, com capitais mistos, uma refinaria em Cabinda, com capitais privados e para o aumento da capacidade da Refinaria de Luanda.(Macauhub)

MACAUHUB FRENCH