Empresário de Macau David Chow analisa investimentos em Moçambique

O empresário de Macau David Chow Kam Fai está à procura de projectos de investimento em Moçambique face a dificuldades surgidas no que está em execução na Praia, capital de Cabo Verde, segundo o China-Lusophone Brief (CLBrief).

O CLBrief, um serviço de informação sobre a China e os países de língua portuguesa, escreveu que no dia 18 de Outubro corrente, primeiro dia da Feira Internacional de Macau (MIF, na sigla em inglês), Chow reuniu-se com o ministro do Comércio e Indústria de Moçambique, Ragendra de Sousa, para discutir oportunidades de investimento.

Lourenço Sambo, presidente da Agência para Promoção de Investimentos e Exportações (Apiex), participou no encontro, segundo escreveu o CLBrief.

Moçambique foi o país convidado da edição deste ano da MIF, tendo-se Ragendra e Sambo deslocado a Macau para promover o seu país como um destino privilegiado para investimentos por parte de empresas chinesas.

O CLBrief escreveu igualmente que Sambo esteve particularmente activo, tendo apresentado um conjunto de projectos de investimento concretos, que incluiam negócios em imobiliário e em turismo em diversas das 11 províncias do país.

As fontes citadas pelo China-Lusophone Brief indicaram que David Chow apreciou atentatamente alguns destes projectos, nomeadamente na província de Cabo Delgado, norte do país, onde depósitos de gás natural de dimensão mundial vão começar a ser explorados dentro de quatro a cinco anos.

O projecto de investimento de David Chow em Cabo Verde, a ser realizado através da empresa Legend Global – Investimentos, Lda., aparenta estar a enfrentar algumas dificuldades, segundo o CLBrief, devido às questões que estão a ser levantadas pelo banco central do arquipélago relativamente à constituição de um banco comercial.

O empresário de Macau assinou em Junho de 2017 um memorando de entendimento com o governo de Cabo Verde para abrir uma instituicão de crédito que seria designada por Banco Sino-Atlântico, ao abrigo de um projecto de desenvolvimento turístico que incluiria um hotel, um casino e diversas outras instalações.

Fontes bancárias a operar no arquipélago disseram ao CLBrief que o banco central está a questionar o perfil do investidor David Chow – que não dispõe de credenciais na actividade bancária – e adiantaram que essa objecção constitui um obstáculo difícil de superar para a constituição do Sino-Atlântico.

O banco central terá ainda manifestado reservas quanto à capacidade do banco em cumprir os regulamentos internacionais do sector, atendendo a que irá receber dinheiro proveniente tanto das receitas do casino convencional a ser construído como do jogo electrónico.

Fontes locais questionaram se o projecto de investimento de David Chow em Cabo Verde continua a ser viável, atendendo a que foi concebido de forma integrada, isto é, desde o turismo ao jogo à actividade bancária, sendo o Banco Sino-Atlântico a peça central. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH