Zâmbia quer ficar ligada à Refinaria do Lobito, em Angola, através de um oleoduto

6 November 2018

Um memorando de entendimento no domínio do petróleo e gás assinado por Angola e pela Zâmbia pode vir a resultar na construção de um oleoduto entre os dois países, com um custo estimado em cinco mil milhões de dólares, escreveu a agência noticiosa Angop.

O documento foi rubricado pelo ministro dos Recursos Minerais e Petróleos de Angola, Diamantino Azevedo e pelo ministro da Energia da Zâmbia, Matthew Nkuwa, que salientou a urgência da construção do projecto AZOP (“Angola Zambia Oil Pipeline”) ligando a Refinaria do Lobito à cidade de Lusaca.

O oleoduto, prosseguiu o ministro zambiano, além de facilitar o fornecimento de derivados de petróleo a partir da Refinaria do Lobito abrirá igualmente caminho para uma maior integração económica dos países da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC).

O ministro angolano recordou estarem em curso os projectos de construção das refinarias do Lobito e de Cabinda e ainda a recuperação e modernização da refinaria de Luanda que, em conjunto, deverão elevar a capacidade de refinação angolana para cerca de trezentos mil barris por dia.

Ainda na segunda-feira a delegação angolana reuniu-se com os promotores do projecto AZOP, tendo sido informados em pormenor dos desafios e das vantagens do mesmo, caso venha um dia a ser realidade. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH