Credores e governo de Moçambique acordam nova reestruturação de empréstimo obrigacionista

7 November 2018

Um grupo de credores e o governo de Moçambique chegaram a acordo para substituir obrigações no valor de 726,524 milhões de dólares por nova dívida e uma percentagem dos lucros a obter com a exploração de gás natural, informou fonte oficial.

O acordo alcançado com o Ministério da Economia e Finanças faz com que os investidores irão receber a quase totalidade do capital investido bem como os juros relativos à emissão de obrigações cujos cupões ofereciam uma taxa de juro de 10,5% e maturidade em 2023.

Moçambique deixou de pagar os cupões relativos à emissão de obrigações em Janeiro de 2017, tendo estado envolvido em negociações com um grupo de investidores que representa 60% da dívida e que incluem a Farallon Capital Europe LLP, Greylock Capital Management, LLC e Pharo Management LLC.

O Ministério da Economia e Finanças informou em comunicado divulgado terça-feira em Maputo que os actuais detentores de obrigações poderão proceder à troca dos títulos que detêm por novas obrigações.

O comunicado adianta que irá haver lugar a uma nova emissão de obrigações não garantidas com um valor facial de 900 milhões de dólares, uma taxa de juro de 5,875% e um prazo de amortização até 2033.

O parlamento de Moçambique é uma das entidades que tem de aprovar o acordo agora alcançado, mas o Ministério da Economia e Finanças anunciou pretender concluir este negócio o mais depressa possível, provavelmente no início de 2019.

Este acordo diz respeito ao empréstimo de obrigações no montante de 850 milhões de dólares com o aval do Estado da Empresa Moçambicana de Atum (Ematum), que já havia sido alvo de um outro processo de reestruturação. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH