Cabo Verde quer alcançar mobilidade plena na Comunidade dos Países de Língua Portuguesa

Cabo Verde “irá tudo fazer” para que a mobilidade plena dos cidadãos dentro do espaço da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) seja garantida o “mais depressa possível”, afirmou o Presidente cabo-verdiano.

Jorge Carlos Fonseca fez estas declarações ao presidir à cerimónia de tomada de posse do presidente de honra, presidente da direcção da Confederação Empresarial da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CE-CPLP) e das entidades associadas eleitas para o mandato 2018-2020, realizada terça-feira na Praia.

O chefe do Estado cabo-verdiano afirmou que a CPLP, cuja presidência foi agora assumida por Cabo Verde, tem dado “passos positivos e construtivos” em diversos sectores, registando “alguma dinâmica” com intercâmbio de jovens, agentes culturais e sindicais.

Mas defendeu a necessidade de se dar um “novo impulso” para que a referida comunidade seja vista, sobretudo pela opinião pública dos diversos países, não como instância de políticos mas como uma comunidade de povos, segundo a agência noticiosa Inforpress.

Para que esse objectivo seja conseguido “o mais depressa possível”, Jorge Carlos Fonseca frisou que Cabo Verde, que detém a presidência da CPLP, terá de contar com a cooperação do governo, do secretário-executivo da CPLP e da Confederação Empresarial da referida comunidade.

O presidente da Câmara de Comércio do Sotavento, Jorge Lima Spencer, disse que este é “o momento certo” de fazer da CPLP uma comunidade económica, realçando a mobilidade como “pedra fundamental” para a consolidação da mesma.

Lima Spencer disse ainda ter chegado a altura de a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa dar o salto para passar a ser, não só uma organização política mas também uma comunidade económica, para que os empresários possam fazer negócios em português. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH