Presidente de Angola conclui visita oficial a Portugal com a assinatura de 13 acordos

26 November 2018

O Presidente de Angola regressou domingo a Luanda, depois de uma visita oficial de três dias a Portugal em que os dois países assinaram um conjunto de 13 acordos de cooperação, escreveu a imprensa portuguesa.

Os acordos assinados entre Angola e Portugal abrangem áreas como a justiça, formação de pessoal docente, engenharia, turismo, cultura, reinserção social, medicina legal, saúde, ciência, inovação e ambiente.

No comunicado final, as delegações governamentais de Angola e Portugal consideraram que a visita do Presidente João Lourenço a Portugal revestiu-se de elevado significado político, patenteado nos encontros entre os chefes de Estado dos dois países.

Em conferência de imprensa realizada em Lisboa, João Lourenço disse ter “tranquilizado” os responsáveis do Banco Comercial Português quando à possibilidade de a Sociedade Nacional de Combustíveis de Angola (Sonangol) deixar de ser accionista do banco, onde controla uma participação de 19,49%.

O Presidente angolano adiantou, por outro lado, “ser muito pouco provável” que a Sociedade Nacional de Combustíveis de Angola esteja interessada em manter a participação no grupo Galp Energia.

A Sonangol controla 60% da SGPS Esperanza, que por sua vez detém 45% da SGPS Amorim Energia, que por sua vez é o maior accionista do grupo Galp Energia, com uma participação de 33,34%.

João Lourenço recebeu ainda a garantia da parte do primeiro-ministro António Costa de que Portugal dará “toda a colaboração para que o dinheiro que pertença a Angola, a Angola seja contabilizado.”

O Presidente João Lourenço convidou o seu congénere de Portugal a visitar Angola em 2019, “convite já aceite” e no primeiro semestre de 2019 decorrerão em Luanda uma “nova ronda de consultas políticas a nível de altos funcionários” e uma reunião para avaliar a aplicação do Protocolo Bilateral sobre a Facilitação de Vistos. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH