Portugal pretende investimento da China em áreas produtivas

4 December 2018

A China é um “país parceiro amigo de Portugal”, desde logo pela aposta chinesa em empresas portuguesas, disse segunda-feira em Lisboa o ministro da Economia, que salientou a necessidade de se conseguir “investimento produtivo.”

Pedro Siza Vieira, ao intervir na conferência “Portugal-China, uma relação com futuro”, em Belém, Lisboa, disse ainda que o relacionamento entre os dois países reflecte-se sobretudo ao nível do investimento estrangeiro em Portugal, aludindo às “significativas aquisições de empresas e de activos” em diversas áreas.

Em causa estão empresas como a Global Media (comunicação social), companhia de seguros Fidelidade, Redes Energéticas Nacionais (REN), EDP – Energias de Portugal, e Banco Comercial Português.

O ministro, citado pela agência noticiosa Lusa, ao recordar que a conferência ocorria na véspera da visita oficial do Presidente chinês, Xi Jinping, a Portugal, afirmou que o governo português quer aproveitar tal ocasião para “elevar a relação política e diplomática a um plano superior.”

“A ambição que ambos os países colocam nesta visita é significativa” e, do ponto de vista de Portugal, “gostaríamos de passar da aquisição de activos para um investimento produtivo”, vincou o governante, falando em “áreas a explorar” como os sectores automóvel e da mobilidade eléctrica.

Além disso, continuou, Portugal quer “fazer crescer as exportações para a China”, aumentando assim a “penetração das mercadorias e serviços” portugueses, bem como fomentar o turismo.

O embaixador da China em Portugal, Cai Run, disse por seu turno que a visita de terça-feira e quarta-feira “será bem-sucedida e terá bons resultados.” (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH