Angola recebe o maior empréstimo concedido pelo FMI a países de África a sul do Saara

21 December 2018

O empréstimo de 3,7 mil milhões de dólares concedido pelo Fundo Monetário Internacional a Angola é o maior alguma vez atribuído a um país de África a sul do Saara, disse em Luanda a directora-geral da instituição.

Christine Lagarde, que falava no Palácio Presidencial, na conferência de imprensa conjunta com o Presidente João Lourenço, referiu ser aquele um montante suficiente para apoiar as reformas em curso em Angola, com destaque para a consolidação fiscal e estabilidade macroeconómica.

A visita de Christine Lagarde, iniciada quarta-feira, acontece duas semanas depois de o Conselho Executivo do Fundo Monetário Internacional ter aprovado, em Washington, a Facilidade Alargada de Crédito, no valor de 3,7 mil milhões de dólares, para apoiar as reformas económicas em curso em Angola.

A 1 de Agosto, o Governo pediu ao Fundo o início de discussões de um programa económico financiado ao abrigo da EFF (Extended Fund Facility – EFF, em inglês), tendo solicitado o ajustamento do programa de apoio do FMI, adicionando-se uma componente de financiamento.

Este pedido de ajuda financeira surge depois do acordo negociado pelo governo angolano em 2008, que culminou, em 2009, com a assinatura do acordo de assistência financeira no valor de 1,4 mil milhões de dólares, para solucionar desequilíbrios da balança de pagamento, resultantes da crise económica e financeira do país.

O Presidente de Angola disse, por seu turno, que o empréstimo concedido pelo Fundo Monetário Internacional ajuda a credibilizar as reformas em curso no país.

João Lourenço referiu que, embora as reformas sejam reais, careciam da “chancela” de uma instituição financeira internacional credível, segundo a agência noticiosa Angop.

Para o Chefe de Estado angolano, com essa “chancela” do FMI, que os investidores tanto aguardavam e acaba de chegar, “o programa do Governo fica mais credibilizado e, com certeza, espera-se em breve a chegada dos investidores internacionais.”

O Presidente angolano informou ainda que o Estado já tem na sua posse, do montante global a receber, cerca de mil milhões de dólares. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH