Investimento de empresas da China no Brasil cai 75% em 2018

11 January 2019

O investimento efectuado por empresas da China no Brasil em 2018 registou uma quebra em termos de valor de 75,5% para 2761 milhões de dólares, informou em Brasília o Ministério do Planeamento, Desenvolvimento e Gestão.

A mais recente edição do Boletim sobre Investimentos Chineses no Brasil elaborado pela Secretaria de Assuntos Internacionais daquele ministério refere que a queda homóloga registada no ano findo deriva do facto de o ano de 2017 ter sido o pico dos investimentos de empresas chinesas no Brasil.

Se as empresas chinesas investiram no ano findo 2583 milhões de dólares em fusões e aquisições e 178 milhões de dólares em projectos de raiz, em 2017 esses valores ascenderam a 11 298 milhões e oito milhões de dólares, respectivamente.

O boletim chama, no entanto, a atenção para o facto de uma publicação do Banco Central do Brasil – Relatório de Investimento Directo no País – referir que no ano de 2017, quando os investimentos chineses atingiram o seu valor mais elevado, a China foi apenas o nono maior investidor estrangeiro no Brasil.

No período de Setembro a Dezembro de 2018 foram confirmados quatro investimentos de empresas chinesas no Brasil, sendo dois projectos – Tencent Holding e China State Grid – de fusões e aquisições e dois outros – Anhui Zhongding Holding e Gree do Brasil – de raiz.

A Tencent Holding, proprietária da aplicação WeChat, aplicou 180 milhões de dólares numa participação de 5,0% na empresa brasileira de tecnologia financeira Nu Pagamentos As – Nubank e a estatal State Grid concluiu o processo de oferta pública de compra das restantes acções da CPFL Energias Renováveis.

Através desta operação, a State Grid teve de despender 1060 milhões de dólares, tendo assado a deter 99,94% do capital social daquela empresa brasileira.

A chinesa Anhui Zhongding Rubber-Plastic Products Co. Ltd, um dos maiores fabricantes mundiais de produtos de borracha que não sejam pneus, investiu 51,2 milhões de dólares na construção de uma fábrica, a sua primeira no estrangeiro, e a Gree do Brasil efectuou um investimento de 20,7 milhões de dólares numa nova fábrica na Zona Franca de Manaus.

Esta nova fábrica visa, segundo aquele grupo produtor de aparelhos de ar condicionado, fazer com que ao longo dos próximos cinco anos aumente a sua quota no mercado brasileiro de 10% para 30%.

A Secretaria de Assuntos Internacionais do Ministério do Planeamento, Desenvolvimento e Gestão informou igualmente que a partir de 2019 este Boletim sobre Investimentos Chineses no Brasil passará a ter periodicidade trimestral. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH