Consórcio petrolífero inicia pesquisas sísmicas 3D em São Tomé e Príncipe

15 January 2019

O consórcio constituído pelas empresas britânica BP Exploration Operating e norte-americana Kosmos Energy inicia no final de Março a pesquisa sísmica em três dimensões no bloco 10 do mar de São Tomé e Príncipe, anunciou segunda-feira a Agência Nacional de Petróleo são-tomense.

A data do início da pesquisa sísmica foi tornada pública por aquela agência no final de um “encontro de consulta pública sobre o estudo de impacto ambiental, saúde e segurança” testemunhado pelo ministro dos Recursos Naturais, Osvaldo d’Abreu e pelos representantes da BP e da Kosmos.

“O programa de exploração sísmica 3D tem início previsto para final de Março de 2019 e será realizado a uma distância mínima aproximada de nove quilómetros a norte de São Tomé, com a duração esperada de 95 dias”, lê-se no documento das conclusões finais do encontro.

Iniciados em finais de Outubro, os estudos de impacto ambiental realizados no mar de São Tomé e Príncipe resultam de dois contratos de prospecção de blocos petrolíferos estabelecidos entre o consórcio BP Exploration Operating / Kosmos e a Agência Nacional de Petróleo de São Tomé e Príncipe.

Válidos por 28 anos, sendo os primeiros oito destinados à pesquisa e restantes 20 ao desenvolvimento e produção, os contratos conferem ao grupo BP o estatuto da operadora dos blocos 10 e 13, ficando o Estado São-Tomense com uma participação de 15% em cada um deles.

O bloco 10 tem uma profundidade média de 2500 metros e uma área de 6839,6 quilómetros quadrados, enquanto o bloco 13 tem uma profundidade média de 3000 metros e cobre uma área de 6776,9 quilómetros quadrados.

Além da zona económica exclusiva de exploração, São Tomé e Príncipe dispõe de uma outra de exploração conjunta com a Nigéria, na base de um tratado que confere 60% de receitas para o Estado nigeriano e 40% para o arquipélago, estando ainda em análise uma eventual terceira zona de partilha com a Guiné-Equatorial. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH