Brasil quer diversificar exportações para a China

21 January 2019

O Brasil quer diversificar as suas exportações e alcançar um número maior de parcerias bilaterais, particularmente com a China, o maior parceiro comercial, disse em Brasília o novo ministro da Economia, ao receber em audiência o embaixador da China.

A equipa ministerial pretende estimular a venda de produtos de maior valor acrescentado para o mercado da China e diminuir ao mesmo tempo a quota das matérias-primas no comércio bilateral, disse o ministro Paulo Guedes ao embaixador Yang Wanming, segundo os serviços de informação do ministério.

Paulo Guedes disse ainda a Yang Wanming que o Brasil pretende fazer negócios com o maior número possível de países, “sem qualquer preconceito ideológico” e garantiu que o novo governo manterá o pragmatismo económico “preservando, em simultâneo, a manutenção do país na esfera ocidental.”

As exportações do Brasil para a China em 2018 representaram 26,8% do total e apresentaram um valor de 64,2 mil milhões de dólares, tendo os principais produtos vendidos sido soja em grão, petróleo em rama e minério de ferro.

Por seu turno, as importações brasileiras da China atingiram um valor de 34,7 mil milhões de dólares e concentraram-se em bens industriais e bens de capital, como sejam plataformas de perfuração ou de exploração de minérios. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH