Primeiro leilão de diamantes em Angola conta com 40 empresas já inscritas

29 January 2019

Quarenta empresas estão já inscritas para o primeiro leilão de diamantes em bruto a realizar-se em Angola, uma iniciativa que visa reforçar o compromisso com a inovação e a transparência na indústria diamantífera, disse em Luanda o ministro dos Recursos Minerais e Petróleos, Diamantino Azevedo.

Entre as empresas concorrentes ao primeiro leilão, em que serão colocados à venda sete diamantes de qualidade excepcional,  seis são angolanas e vão juntar-se às estrangeiras no início da nova política de comercialização de diamantes, aprovada em Conselho de Ministros a 27 de Julho de 2018, que põe fim ao monopólio de clientes preferenciais.

Diamantino Azevedo, ao intervir segunda-feira na cerimónia de lançamento do referido leilão, disse que o desafio para a diversificação económica passa pela dinamização do sector mineiro, estimulando a execução de políticas macroeconómicas, tendo em conta o considerável potencial mineiro do país.

Das sete pedras a leiloar o destaque recai para um diamante de 114 quilates e para um diamante de cor rosa de 46 quilates, provenientes da Sociedade Mineira do Lulo, segundo a agência noticiosa Angop.

O leilão obedece a um calendário estabelecido pela organização, sendo que nos dias 28 e 29 de Janeiro será feito o registo, dia 30 têm início as licitações que encerram a 31 de Janeiro, no mesmo dia em que começam as divulgações que se poderão estender até 1 de Fevereiro.

O sector diamantífero de Angola produziu 9,4 milhões de quilates de diamantes em 2018, o que permitiu facturar 1,2 mil milhões de dólares, sendo a perspectiva para 2019 de 9,5 milhões de quilates e uma facturação de 1,3 mil milhões de dólares. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH