Entrepostos de madeira em Angola começam a gerar receita

31 January 2019

As empresas angolanas de exploração de recursos florestais exportaram em apenas três meses através do Entreposto de Madeira de Luanda produtos avaliados em 19 milhões de dólares, informou o ministro de Estado do Desenvolvimento Económico e Social.

O ministro Manuel Nunes Júnior, no final de uma visita àquele entreposto situado no município de Icolo e Bengo, disse que antes da sua existência “nada entrava nos cofres do Estado em resultado da exportação de madeira.”

Manuel Nunes Júnior afirmou que, por haver no país madeira em abundância, “é importante que cuidemos da organização da produção e comercialização do produto para que possamos tirar o máximo rendimento, não só em valores financeiros, mas também no que diz respeito à criação de empregos, que é outro aspecto muito importante para nós.”

O ministro de Estado do Desenvolvimento Económico e Social lembrou que, embora o Entreposto de Madeira de Luanda ainda não funcione na sua plenitude, conseguiu, em três meses, “alcançar alguns feitos importantes do ponto de vista de recursos financeiros para o país.”

Citado pelo Jornal de Angola, o ministro da Agricultura e Florestas, Marcos Alexandre Nhunga, declarou que, até há um ano, “quase nada era arrecadado porque o sector madeireiro carecia de organização” e recordou estarem a ser construídos entrepostos semelhantes nas províncias do Bengo, Cuando Cubango, Moxico, Benguela e Cabinda.

O secretário de Estado para os Recursos Florestais, André Moda, anunciou em Agosto de 2018 a construção de seis entrepostos de produtos florestais para receber toda a produção de madeira, tanto a proveniente das concessões como a das unidades semi-industriais.

A nova legislação para o sector madeireiro prevê que nas operações de exportação passa a ser obrigatória a apresentação de uma carta de crédito ou comprovativo de transferência emitida por um banco no exterior a favor da conta do exportador, em banco domiciliado em Angola. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH