China anuncia plano da Área da Grande Baía Guangdong-Hong Kong-Macau

19 February 2019

O Conselho e Estado da China anunciou segunda-feira os pormenores do plano da Grande Baía Guangdong-Hong Kong -Macau que pretende criar uma megalópole de alta tecnologia no sul do país.

O plano divulgado pela agência de notícias Xinhua refere que o governo irá transformar a zona num centro de inovação global, desenvolverá infra-estruturas de conectividade, reforçará o papel de quatro das cidades da região.

O documento refere claramente que Hong Kong será o centro financeiro, marítimo e de comércio. Macau um centro de turismo internacional e de ligação da China com os países de língua portuguesa e Guangzhou o centro administrativo da região.É igualmente conferido a Shenzhen o estatuto de zona económica especial e centro de tecnologia da Grande Baía.

Ainda de acordo com o conteúdo do documento sobre a Grande Baía o governo central apoiará os bancos e seguradoras de Hong Kong e Macau a estabelecerem-se em cidades da zona nomeadamente em Shenzhen e Guangzhou. A China estudará também o estabelecimento de uma central de compensação em Yuan para os países d língua portuguesa.

A região, com mais de 67 milhões de residentes, representa uma economia de três biliões de dólares (Trillion) podendo vir a ser muito superior à economia do próprio Japão.

A Área da Grande Baía, com uma área de 56.000 quilómetros quadrados, englobará as cidades de Guangzhou, Shenzhen, Zhuhai, Foshan, Huizhou, Dongguan, Zhongshan, Jiangmen, Zhaoqing e as regiões administrativas especiais de Macau e Hong Kong.

O documento refere que a Grande Baía trará um novo impulso ao desenvolvimento de Hong Kong e Macau e ajudará a criar uma zona de grande desenvolvimento das 11 cidades que integram a região.

A China já investiu milhões de dólares em projectos de infra-estruturas na zona ligando as cidades.

O plano tem duas fases de desenvolvimento. A primeira até 2022 em que o plano prevê o reforço da cooperação entre as cidades e das respectivas estruturas económicas com vista à preparação de uma nova etapa em 2035 que prevê que o desenvolvimento económico interligado seja apoiado na inovação e tecnologia.

O President Xi Jinping inaugurou em 2018 a maior ponte do mundo sobre o mar com 55 quilómetros que liga Hong Kong-Macau e Zhuhai num investimento de US$15 mil milhões. Em Setembro de 2018 Hong Kong inaugurou o novo terminal ferroviário dos comboios rápidos levando a que a região administrativa especial passasse a estar ligada à rede de comboios rápidos da China que tem mais de 24 mil quilómetros.

Pormenores do plano de desenvolvimento da Grande Área da Baía:

A área da baía deve ser impulsionada pela inovação e liderada pela reforma.

Hong Kong, Macau, Guangzhou e Shenzhen são as quatro principais cidades dos 11.

Governos em Hong Kong, Macau e Guangdong devem melhorar a comunicação e cooperar com respeito mútuo.

As autoridades devem elaborar planos para controlar riscos financeiros e reprimir actividades ilegais.

Principais áreas de desenvolvimento

  1. Um centro internacional de inovação e tecnologia

Mais oportunidades e melhores condições para os jovens de Hong Kong e Macau iniciarem negócios na área da baía.

Permitir que as empresas de pesquisa e design de Hong Kong e Macau em Guangdong tenham o mesmo tratamento que as empresas do continente e  beneficiem das políticas nacionais e provinciais.

  1. Agilizar a conectividade de infra-estruturas

Adoptar novos modelos de procedimentos de circulação no comboio expresso e na ponte Hong Kong-Zhuhai-Macau.

Melhorar a transmissão de electricidade entre o continente e Hong Kong.

Aumentar a capacidade nos portos de imigração na área da baía para um fluxo mais eficiente de pessoas e bens.

  1. Aprofundar os laços entre Hong Kong e os sistemas financeiros do continente

Conexões de “stocks” entre Xangai e Hong Kong, bem como entre Shenzhen e Hong Kong, serão melhoradas.

Bancos e empresas de seguros elegíveis em Hong Kong e Macau receberão apoio na abertura de filiais em Shenzhen, Guangzhou e Zhuhai.

  1. Qualidade de vida, trabalho e viagens

Incentivar os cidadãos chineses em Hong Kong e Macau a trabalhar em empresas e agências estatais.

Os residentes de Hong Kong e de Macau que trabalham no continente poderão obter os mesmos direitos à educação, cuidados médicos, cuidados a idosos, alojamento e transporte como residentes do continente.

  1. Educação na área da baía

Considera autorizar os professores de Hong Kong trabalharem em Guangdong

Crianças de trabalhadores de Hong Kong no continente podem ter o mesmo direito à educação que os residentes do continente.

Instituições de ensino superior de diferentes cidades serão apoiadas na execução de escolas e programas em conjunto.

  1. Cooperação entre Guangdong, Hong Kong e Macau

O estabelecimento de um banco comercial internacional da Grande Área da Baía de Guangdong

Criar um ambiente de negócios internacional e orientado para o mercado com base no estado de direito, sob a jurisdição e estrutura legal da China continental

  1. Conservação ecológica

Fortalecer o controlo da poluição da água e do ar na área do Rio Delta da Pérolas. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH