Plano prevê melhorias no transporte público de Luanda, em Angola, até 2030

22 February 2019

Oitenta por cento da população de Luanda terá acesso conveniente ao transporte público ferroviário até 2030, revelou Neusa Inglês, do Ministério do Ordenamento do Território e Habitação de Angola.

Neusa Inglês falava durante uma intervenção que efectuou na 1ª Conferência Internacional sobre Mobilidade sob tema “O Plano Director Geral de Luanda como Instrumento de Apoio à Mobilidade Urbana”.

O Plano Director Geral de Luanda (PDGL) 2015/2030 vai permitir a construção de 207 quilómetros de linha para o comboio suburbano e 44 quilómetros para o comboio de alta velocidade, com vista a reduzir a pressão automóvel sobre a futura rede rodoviária.

No âmbito do PDGL, mais de cinco milhões de deslocações diárias serão fornecidas por um sistema de transportes público.

O plano prevê igualmente novas linhas para o transporte marítimo de passageiros em catamarãs, corredores ferroviários como o corredor ferroviário de Camama, duplicação do troço ferroviário Bungo-Catete, ligação ferroviária Norte/Sul e futura ligação ferroviária ao novo aeroporto.

A entrada em funcionamento de um metro ligeiro de superfície para província de Luanda e do terminal marítimo de Cacuaco constam também destes estudos.

A actual população de Luanda é de 8 milhões de habitantes mas as previsões apontam para que venha a aumentar nos próximos 15 anos para 13 milhões.

Ainda durante a conferência o director do gabinete provincial dos Transportes, Trânsito e Mobilidade Urbana, Amadeu Campos revelou que Luanda precisa de mil e 800 autocarros e um aumento das suas rotas.

A frota actual de Luanda é de 213 autocarros, de quatro empresas uma delas publica, com 54 rotas. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH