Emissão de dívida por Portugal na China é “cooperação mutuamente benéfica”

4 March 2019

A China espera que a emissão de dívida pública portuguesa em yuans se concretize “de forma satisfatória”, uma “cooperação mutuamente benéfica”, segundo as palavras do embaixador da China em Portugal.

Cai Run disse à agência noticiosa Lusa que a emissão representará para Portugal “mais uma fonte de financiamento” e para a China significará “popularidade” e um contributo para o país “ser bem acolhido pela comunidade internacional.”

Em declarações a propósito do 40.º aniversário do estabelecimento de relações diplomáticas entre Portugal e a República Popular da China e da visita do Presidente português a Pequim, em Abril de 2019, Cai Run sublinhou que se a emissão de dívida portuguesa no mercado chinês “se concretizar em breve”, Portugal “será o primeiro país da zona euro a emitir dívida pública em yuan.”

Portugal e a China, através da Caixa Geral de Depósitos e do Banco da China, assinaram em Outubro de 2018 um acordo prevendo a emissão de dívida pública portuguesa em yuan, um dos 17 acordos bilaterais formalizados durante a visita do Presidente chinês, Xi Jinping, a Portugal.

Portugal tem desde 2017 autorização do Banco Popular da China para fazer uma emissão de dívida no mercado chinês.

Cai Run considerou que “a cooperação financeira é importante” dentro da “cooperação bilateral” sino-portuguesa, destacando os investimentos chineses dos últimos anos na área da banca.

O embaixador recordou que o investimento chinês em Portugal supera 9000 milhões de euros “desde o final de 2011, início de 2012”, tendo havido “um aumento estável, ao mesmo tempo, do investimento português na China.”

Portugal é hoje o quinto maior destino de investimento chinês no estrangeiro e é, para a China, um parceiro para investimentos noutros países europeus e nos restantes países de língua portuguesa, afirmou. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH