Accionistas do grupo EDP põem termo à OPA da China Three Gorges

25 April 2019

A decisão dos accionistas do grupo EDP – Energias de Portugal de manterem o limite de 25% dos direitos de voto fez com que a OPA lançada pela China Three Gorges (CTG) tenha visto o seu fim, foi quarta-feira anunciado em Lisboa.

Os accionistas presentes na assembleia-geral, que representavam 65,18% do capital social do grupo, chumbaram a proposta inscrita na agenda de trabalhos pelo fundo Elliott Management Corporation, de Paul Elliott Singer, no sentido de proceder à alteração dos estatutos para pôr termo àquele limite.

A proposta em questão foi rejeitada por 56,60% dos votos emitidos, sendo que, segundo os estatutos do grupo, seria necessária uma maioria qualificada de dois terços para que fosse aprovada.

A OPA lançada pela CTG a 11 de Maio de 2018 tinha como condição de lançamento a alteração dos estatutos para remover o limite dos direitos de votos.

A estatal chinesa detém 23,27% do grupo EDP, enquanto a CNIC, igualmente da China, tem uma participação de 4,98%.

A CTG informou segunda-feira, 22 de Abril, que “todas as condições a que o lançamento da Oferta se encontra sujeita permanecem em vigor e, especificamente, no caso de o resultado da votação não permitir a eliminação do actual limite à contagem de votos, que a CTG não renunciará a essa condição.” (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH