Área da Grande Baía é um desafio para os países de língua portuguesa, afirma responsável do Fórum de Macau

O secretário-geral adjunto do Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa Rodrigo Brum afirmou quinta-feira que o papel de Macau na Área Grande Baía (GBA, na sigla em inglês) é, entre outros, ser a ligação aos países de língua portuguesa.

Rodrigo Brum considerou que a GBA está localizada na zona mais dinâmica da China e será, para os países de língua portuguesa e seus empresários, um dos mais importantes desafios que vão enfrentar.

A região da Grande Baía tem cerca de 70 milhões de habitantes, um Produto Interno Bruto que ronda 1,3 biliões de dólares, integra as Regiões Administrativas Especiais de Hong Kong e Macau e nove cidades da província de Guangdong (Dongguan, Foshan, Cantão, Huizhou, Jiangmen, Shenzhen, Zhaoqing, Zhongshan e Zhuhai.

Brum disse ainda, durante uma conferência sobre Macau como plataforma entre a China e os países de língua portuguesa, que o plano de desenvolvimento da Grande Baía Guangdong-Hong Kong-Macau aponta claramente Macau como plataforma de serviços financeiros entre a China e os países de língua portuguesa.

“Há umas duas décadas que andamos à volta deste tema, mas, neste momento, falamos de um projecto de iniciativa do Governo central. Estamos a falar de algo que vai acontecer porque todos nós reconhecemos à China uma grande capacidade de planeamento e de execução”, disse.

Para Macau, além da plataforma de serviços financeiros, o GBA prevê, entre outros, o estabelecimento de um sistema de garantias de crédito à exportação, o desenvolvimento de centro de compensação de renmimbis para os países de língua portuguesa e a transformação de Macau num centro internacional de turismo e lazer.

Para Rodrigo Brum a GBA será um exemplo para o mundo de cooperação e crescimento económico e o futuro de Macau está em grande parte ligado ao sucesso da GBA. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH