Negociações para construir refinaria em Cabinda, Angola, quase concluídas

29 April 2019

As negociações com o consórcio que vai construir a refinaria de Cabinda, com entrada em funcionamento prevista para 2022, estão praticamente concluídas, anunciou sexta-feira em Luanda o presidente da Sociedade Nacional de Combustíveis de Angola (Sonangol).

Carlos Saturnino, citado pelo Jornal de Angola, disse ainda “haver negociações muito avançadas com o consórcio no que se refere à parte financeira do projecto”, bem como nos equipamentos.

A construção da refinaria de Cabinda, que terá uma capacidade diária de processamento de 60 mil barris de petróleo em rama, foi adjudicada ao consórcio United Shine, com 90% do capital social, em parceria com a Sonangol Refinação (Sonaref) com os restantes 10%.

O presidente da Sonangol adiantou estarem a ser desenvolvidos esforços no sentido de acelerar a constituição do consórcio e respectiva composição accionista que vai construir a refinaria do Lobito, projecto suspenso desde 2016 devido à queda dos preços do petróleo.

Carlos Saturnino informou terem a Sonangol e o Ministério dos Recursos Minerais e Petróleos recebido a confirmação, por escrito, de que a Zâmbia pretende ser accionista da refinaria do Lobito.

O projecto da refinaria do Lobito, localizado no Morro da Quivela, a dez quilómetros do Lobito, numa área de 3805 hectares, representa um investimento inicial de dez mil milhões de dólares e prevê o processamento diário de cerca de 200 mil barris de petróleo. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH