Brasil pretende exportar açúcar de cana geneticamente modificada para a China

16 May 2019

A ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento do Brasil vai solicitar às autoridades da China autorização para que o açúcar produzido a partir de cana geneticamente modificada possa ser exportada para o país, segundo declarações proferidas quarta-feira em Pequim.

A ministra Tereza Cristina Corrêa disse à agência financeira Reuters que o assunto será debatido durante uma visita hoje à Administração Geral de Alfândegas da China, com cujos responsáveis irá argumentar que o acúcar resultante não contém traços dos genes que foram modificados para que a planta possa resistir melhor a pragas e doenças.

O Centro de Tecnologia Canavieira do Brasil desenvolveu uma variedade de cana geneticamente modificada que é resistente à broca (Diatraea saccharalis), principal praga que ameaça a cultura, tendo o governo brasileiro aprovado o seu uso comercial e a agência de regulação dos Estados Unidos “Food and Drug Administration” concluído que o consumo daquele tipo de açúcar é seguro.

Tereza Cristina Corrêa adiantou que irá colocar a questão dos 79 entrepostos frigoríficos que ainda não receberam autorização para exportar carne de vaca, de porco e de frango para a China, sendo que até à data apenas 10 foram inspeccionados pelas autoridades chinesas.

A ministra disse ainda que o Brasil é um dos poucos países com capacidade para abastecer a China com quantidades suficientes de carne de porco quando o país registar uma quebra na produção de suínos, o que deve ocorrer ainda este ano devido ao surto de peste suína africana.

A ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento do Brasil iniciou segunda-feira uma visita à China, tendo em Xangai participado numa série de reuniões e eventos para divulgar os produtos brasileiros passíveis de exportações. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH