Angola protege espécies marinhas com redução das quotas de pesca

28 May 2019

A captura de pescado na presente campanha em Angola deverá registar uma redução estimada em cerca de 30% para um total de 230 mil toneladas, disse o director nacional de Pescas.

António Barradas disse que a redução das quotas de pesca aprovadas visa evitar a extinção das espécies marinhas e travar o aumento do desemprego entre os operadores.

O Ministério das Pescas e do Mar prevê que sejam capturadas 150 mil toneladas de sardinha e 80 mil de carapau, sendo 50 mil para o carapau do Cunene e 30 mil para o carapau do Cabo.

O director nacional de Pescas adiantou que relativamente às outras espécies, como sejam o cachucho, corvina e garoupa, haverá veda entre Maio e Julho, medida já aplicada de Janeiro a Fevereiro último em relação ao camarão de superfície (gamba costeira).

A decisão de reduzir as capturas teve igualmente a ver com o facto de em 2018 não se ter realizado o cruzeiro de investigação científica, por falta de embarcação para determinar a situação das espécies marinhas.

As autoridades angolanas licenciaram para o exercício da actividade, desde Março passado, 499 empresas e 80 embarcações industriais e semi-industriais. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH