Economia de Macau regista contracção no 1.º trimestre de 2019

31 May 2019

O Produto Interno Bruto de Macau sofreu uma contracção no primeiro trimestre de 2019 em termos homólogos, disse quinta-feira o secretário para a Economia e Finanças, que não adiantou números.

Leong Vai Tac adiantou que a variação registada deve-se à comparação com um valor elevado no primeiro trimestre de 2018, tendo citado como exemplo o montante investido nesse período pelo governo em obras públicas, caso das efectuadas na Zona de Administração de Macau, na ilha fronteiriça artificial da ponte Hong Kong-Zhuhai-Macau.

O secretário disse ainda que a formação bruta de capital fixo ou investimento das empresas também se reduziu, na sequência da conclusão de vários empreendimentos de grande escala em 2018 e devido à redução de projectos, em fase de início de obras, no primeiro trimestre de 2019.

O objectivo para este ano será, segundo Leong Vai Tac, fazer os possíveis para manter o “básico”, “embora o governo continue a empenhar-se para garantir um progresso estável.”

No decurso de um encontro com a comunicação social, o secretário salientou que a quantidade de produtos exportados da China interior através de Macau para os Estados Unidos ocupa uma parte relativamente pequena do Produto Interno Bruto (PIB) do território, não sendo, por isso, evidente o impacto directo das tensões comerciais entre a China e os Estados Unidos da América.

Leong Vai Tac garantiu que o governo está dotado de um sistema preparado para o aparecimento contínuo de factores incertos da economia, incluindo o acompanhamento próximo, por parte da Autoridade Monetária, da situação de investimento das reservas financeiras de Macau.

No entanto, afirmou que o aumento da volatilidade na economia poderá ter efeitos no poder de compra e na vontade de consumo dos visitantes, além do que os factores de câmbio podem também reduzir a capacidade de consumo dos mesmos, questões que podem afectar a “exportação de serviços” e o consumo em Macau. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH