Exploração petrolífera em Angola deve ter mais conteúdo local

6 June 2019

O ministro dos Recursos Minerais e Petróleos de Angola disse quarta-feira em Luanda esperar que o sistema financeiro possa apoiar as empresas petrolíferas a fazer com que o conteúdo local no sector.

Diamantino Azevedo, depois de dizer que o conteúdo local deve reflectir-se em empresas competitivas e eficientes, adiantou que o debate sobre a questão obedece a um cronograma elaborado pelo Ministério, iniciado há algum tempo.

Dados citados pela agência noticiosa Angop indicam que a participação das empresas nacionais na indústria de exploração de petróleo e gás, em Angola, representa apenas uma parcela estimada em 10%.

A contribuição das empresas nacionais no conteúdo local atingiu o valor de 3,5 mil milhões de dólares entre 2013 e 2014, sendo que 2014 foi o período mais significativo, devido ao nível de facturação elevado.

O ministro, que proferia o discurso de encerramento da conferência Angola Petróleo e Gás 2019, disse que o evento demonstra a importância que o governo de que faz parte confere à criação de oportunidades para empresários locais e para que todos possam, em conjunto, intervir no sector de petróleo e gás em Angola.

Na sessão de abertura, terça-feira, o Presidente de Angola apelou às empresas petrolíferas nacionais que recrutem quadros angolanos e assegurem a formação dos trabalhadores a fim de garantir a “angolanização” da produção petrolífera.

João Lourenço disse que sendo a exploração petrolífera um sector de capital intensivo e de tecnologias avançadas, “a sua importância será ainda maior se passar a incorporar mais mão-de-obra nacional.”

O Presidente salientou que o governo tem procurado incentivar as empresas petrolíferas a cumprir com os planos de formação, promoção e integração de quadros e técnicos angolanos nos diferentes níveis da hierarquia da indústria petrolífera, aumentando o grau de “angolanização” do sector. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH